Ontologias

Dezembro 8, 2007

Ler POPPER através de interessados terceiros (Geoffrey Stokes)

Filed under: Leituras & Reflexões — alexandre sousa @ 11:08 am

 Por «epistemologia» entendo o estudo filosófico das definições, fundamentos e validade do conhecimento. Este projecto é normativo e prescritivo. O seu objectivo é conceber um conjunto de valores epistémicos que sirvam de guia à criação e aquisição do conhecimento. Tais valores constituem uma ética cognitiva ou «código processual intelectual» que molda as práticas humanas de aquisição do conhecimento (Gellner, 1976: 165). 

Os epistemólogos propõem critérios como os da precisão, coerência ou consistência para distinguir entre formas de justificação do conhecimento – justificações boas ou más, verdadeiras ou falsas, racionais ou irracionais. Uma epistemologia empirista, por exemplo, exige que o conhecimento se baseie principalmente na experiência, ou seja, em provas obtidas por meio da observação ou dos ouros sentidos. Em contrapartida, um racionalista defenderá a importância de uma razão, lógica formal ou teorias apriorísticas na produção do conhecimento. Uma epistemologia racionalista apoiar-se-á no uso do conhecimento logicamente consistente ou coerente fundado principalmente na razão filosófica ou, no caso da ciência, na ordenação teórica da experiência. A maior parte das epistemologias, incluindo a de Popper, incorporam graus variáveis de compromisso com o empirismo e o racionalismo. A epistemologia poderá também prescrever formas ideais de explicação ou os tipos de relações entre a teoria e as provas que devem ser procuradas. 

A metodologia diz respeito ao estudo das formas de argumentação de importantes campos disciplinares de investigação e a sua aplicação à formulação de regras gerais de procedimento prático. Os seus modelos mais comuns são retirados da análise da prática científica e podem incluir por exemplo, o método experimental, ou, no caso de Popper, o método da conjectura e da refutação. A escolha de uma metodologia dependerá em parte do objectivo epistemológico ou prático (Caws, 1967: 339). Dependerá também da sua adequação à disciplina, como as ciências da natureza ou as ciências sociais e seus subcampos.

Discutível será a escolha dos géneros de metodologias, tais como a indução ou a dedução, que melhor se adequam a critérios epistemológicos específicos. Assim, os estudos de metodologia poderão ser tanto descritivos como normativos. Contudo o termo «metodologia» deverá distinguir-se de método, no sentido de técnicas específicas de investigação – tais como as da amostragem, da análise estatística, da observação participante – utilizadas para recolher e analisar dados numa disciplina particular. 

Nas primeiras obras de Popper a epistemologia é entendida como virtualmente sinónima de metodologia, a qual, por sua vez, é considerada equivalente à «lógica do método científico» 

Porque hoje é sábado, o livro do dia vai ser:  Dancy, J.; “Epistemologia contemporânea”, (1985), Ed. 70

Anúncios

Deixe um Comentário »

Ainda sem comentários.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

%d bloggers like this: